PLANTÃO CHESP: 0800 62 2003

Trabalhar no presente garantindo o futuro! É pensando
assim que a CHESP investe há mais de 60 anos no
desenvolvimento do Vale do São Patrício.

Histórico

Tudo começou em 1941 com a chegada dos primeiros homens para implantação da Colônia Agrícola Nacional de Goiás – CANG, desbravadores que tinham como objetivo primordial implantar uma agricultura moderna e fixar o homem no campo. Vieram sob a direção de Bernardo Sayão, o grande colonizador, homem destemido, ousado e como disse Juscelino Kubitschek, "o bandeirante do século XX". Era a Marcha para o Oeste, o sonho de Getúlio Vargas ganhando concretude e impulsionando a migração de mineiros, baianos, outros goianos e paulistas. Gente de todo lado estava chegando.

Em 1945, embora não fosse objetivo da ação colonizadora construir uma cidade, a chegada dos "loteiros" forçou o surgimento de um núcleo urbano a partir da sede da CANG, isto porque os lotes eram poucos e as famílias eram muitas. A previsão inicial era doar um quinhão de 26 a 32 hectares para cada família, mas cada quinhão passou a abrigar duas e até três famílias. Os benefícios da CANG; a assistência odonto-médico-hopitalar; o comércio de suprimentos; a compra dos produtos agrícolas produzidos pelos colonos (arroz, feijão, milho e depois o café); mais a chegada de refugiados da II Guerra Mundial (sírios e japoneses) deram origem à cidade de Ceres.

A partir de 1948, mesmo havendo um progresso crescente na CANG, faltava o elementar: energia elétrica farta e permanente. Então houve uma grande mobilização popular sob a liderança do engenheiro Roland Martin para construção de uma usina hidroelétrica com recursos privados. A obra se realizou, sendo denominada na época como "uma obra monumental nascida do mais puro espírito de pioneirismo".  Mais do que vender uma idéia, o Dr. Roland conseguiu materializar um sonho, a construção da Companhia Hidroelétrica São Patrício. A ele se juntaram vários acionistas, advindos de Ceres, Uruana, Anápolis, Rialma e Castrinópolis.

 

 

O Dr. Roland Von Ockel Martin nasceu no dia 24 de maio de 1912 na cidade de Joinville em Santa Catarina, filho do Engenheiro Civil Dr. Ricardo George Martin e de Dona Ingeborg Von Ockel Martin.

Sendo seu pai engenheiro de obras, o Dr. Martin, ao longo de sua infância e adolescência, residiu em várias cidades brasileiras tais como Acarape, perto de Fortaleza, Gargalheiros no Rio Grande do Norte, Crocket de Sá-Congonhas em Minas Gerais, Porto Alegre e finalmente Niterói no Estado do Rio de Janeiro. Em 1932 entrou na Faculdade Mackenzie, em São Paulo, para fazer o curso de Engenharia Elétrica e neste mesmo ano engajou-se como voluntário no Batalhão 14 de Julho que teve participação ativa na Revolução Constitucionalista de 1932.

Enquanto cursava a faculdade, trabalhou na BYINGTON e CO tendo chegado a chefia do departamento de orçamentos. Também trabalhou para a empresa TIBIRIÇÁ E CIA que antecedeu a atual Vale do Rio Doce e, apesar de não ser sua especialidade, o Dr. Martin tornou-se um autodidata na área mineral e realizou trabalhos de prospecções em Minas Gerais e Niquelândia - GO. Foi por esse trabalho que a AMERICAN SMELTING AND REFINING CO o chamou na intenção de explorar o minério de níquel para o esforço de guerra americano.

Mais tarde casou-se com Dona Maria de Pina Martin e em 1946 retornou a Anápolis para ocupar o cargo de Diretor da Força e Luz de Anápolis. Desse feliz e duradouro casamento nasceram Maria Cristina, Patrícia, Ricardo e Guilherme.

Em 1948, impulsionado pelo ideal desbravador do Dr. Bernardo Sayão, que naquela época administrava a Colônia Agrícola de Goiás - CANG, começou a trabalhar para constituir a Companhia Hidroelétrica São Patrício. Com a ajuda dos pioneiros da região,  fundou a CHESP em 25/06/1949 e imediatamente iniciou a construção da Usina São Patrício no Rio das Almas, que teve a primeira etapa inaugurada em 25/12/1955 com a presença do então Governador de Goiás, Dr. José Ludovico de Almeida, e de seu Vice, o Dr. Bernardo Sayão.

Vale destacar que na época de sua inauguração, a Usina São Patrício era a segunda em tamanho no Estado de Goiás, o que demonstra o arrojo e o pioneirismo da CHESP.

Desde então, a história do Dr. Roland Martin confunde-se com a história da Companhia Hidroelétrica São Patrício que hoje é concessionária federal para o serviço público de geração e distribuição de energia elétrica nos municípios de Carmo do Rio Verde, Ceres, Ipiranga de Goiás, localidade de Monte Castelo, Nova Glória, Rialma, Rianópolis, Santa Isabel, São Patrício e Uruana, atendendo mais de 26 mil consumidores.

Dr. Roland Martin partiu para eternidade no dia 18 de outubro de 1997 deixando grande saudade.

 

Imagens